Curiosidades da TV: CNT Interior, a emissora própria da CNT que pode ter sido o pivô da separação da CNT/Gazeta

Rio Claro, SP — Também conhecida como CNTi, a CNT Interior tinha sede em Americana (SP) e era responsável pela retransmissão da CNT/Gazeta na região de Campinas


Essa é a coluna "Curiosidades da TV", a coluna do Intermedia na qual revelamos várias curiosidades da TV no Brasil. Hoje, vamos falar de uma emissora que até então passou despercebida pelo público e que pouquíssimas pessoas se lembram dela: a CNT Interior, também conhecida pela sigla CNTi.


Antecedentes — Em 1997, a Central Nacional de Televisão (CNT), sediada em Curitiba (PR), consegue, através de licitação pública, a concessão do canal 52 UHF analógico na cidade de Americana, no interior do Estado de São Paulo. Posteriormente, a emissora colocou no ar a sua nova emissora própria no interior paulista, a CNT Interior, também conhecida por CNTi, e retransmitia inicialmente a programação da CNT/Gazeta.

Programação — Entre 1998 e 2000, a CNTi contou com uma forte programação local. Dentre os programas locais, se destacavam os programas CNT Esporte, 190 Urgente, Opinião de Nadir Roberto e Choque de Opiniões. A CNTi também realizou a Copa CNTi de Futebol Mirim e Pré Mirim, competição que buscava revelar os futuros craques do futebol nacional.

Pivô da cisão CNT/Gazeta? — Há quem afirme que a CNTi possa ter sido o pivô da cisão CNT/Gazeta, uma vez que a Gazeta teria solicitado várias informações a respeito da nova emissora por parte da CNT, e que a resposta da CNT teria desagradado a direção da Gazeta. Vale lembrar também que a partir do 2º semestre de 1998, com o fim dos sorteios 0900 na TV, a emissora paranaense passou por uma grave crise financeira, a ponto de ter seu sinal via satélite cortado nas madrugadas e posteriormente ter deixado as parabólicas.

Pós-cisão e dias atuais — Em junho de 2000, a TV Gazeta de São Paulo rompe a parceria com a CNT, volta a ser uma emissora independente e se torna rede nacional. Com isso, a CNTi mantém, obviamente, a parceria com a CNT (sem a Gazeta). Posteriormente, todos os programas locais saem do ar e a CNTi passa a se chamar CNT São Paulo, passando a retransmitir sua programação na capital paulista e região metropolitana, pelo canal 26 UHF, a partir de 2001. 
A emissora de Americana nunca mais produziu nada na cidade, apenas acompanhou as fases da CNT ao longo do tempo, seu primeiro declínio (a ponto de ter apenas 2 programas no ar em 2006, o CNT Jornal e o Jogo do Poder), a fase TV JB, seu aparente reerguimento entre 2008 e 2012 e seu declínio (2013-presente). É bem provável que a emissora perca sua concessão futuramente ou seja vendida.

Fico por aqui. Em breve, mais "Curiosidades da TV" aqui no Intermedia.

Postar um comentário

0 Comentários