PlayTV encerra atividades após 14 anos; TV Walter Abrahão é sua substituta

Rio Claro, SP — Canal marcou época na TV brasileira por ter sua programação voltada ao público jovem, com música, games, animes e cultura pop, mas também esteve envolvida em escândalos de corrupção


Acabou. Após 14 anos no ar (sendo os primeiros 2 na TV aberta), a PlayTV encerrou definitivamente as suas operações, após a venda da emissora ao filho do narrador esportivo Walter Abrahão, que deu seu nome à emissora, TV Walter Abrahão (TV WA).
Durante toda a sua trajetória, a PlayTV foi uma emissora destinada ao público jovem, com informações sobre música, games, animes e cultura pop. O canal foi criado no dia 5 de junho de 2006, e nos 2 primeiros anos de sua existência, a emissora foi ao ar na TV aberta, através do canal 21 UHF de São Paulo, de várias retransmissoras e afiliadas pelo Brasil, e pelas antenas parabólicas, por meio de uma parceria entre a Gamecorp (fundadora do canal) e o Grupo Bandeirantes de Comunicação (donos do Canal 21).
Em 2008, o Grupo Bandeirantes rompeu a parceria com a Gamecorp devido às várias insatisfações por parte da Band, e no dia 7 de julho daquele ano, a Rede 21 voltava a operar no 21 UHF paulistano. No dia 11 de novembro, a PlayTV volta ao ar, como um canal pago, no canal 86 da Sky.
A programação da PlayTV era focada em informações sobre música, jogos, animes e filmes, além de exibir infomerciais (informes publicitários). Um de seus principais programas era o "Combo: Fala + Joga", além da exibição de animes como "Os Cavaleiros do Zodíaco", "Yu Yu Hakusho", "Monster Rancher", "Naruto", "Yu-Gi-Oh!", "Bleach" e "Death Note" além da animação britânica "A Lenda do Dragão". Também fizeram sucesso programas como "Game Over", "Mok", "Manual do Mundo" e "PlayHit".
A PlayTV nunca transmitiu sua programação em HD (High Definition), algo comum nas emissoras abertas e/ou pagas desde 2016. Sua audiência chegou a ser superior à da antiga MTV Brasil nos tempos em que ambas atuavam na TV aberta.

Acusações de corrupção

A PlayTV acabou sendo envolvida em vários escândalos de corrupção, como o caso Gamecorp e a Operação Lava-Jato, isso porque seu proprietário, Fábio Luiz 'Lula' da Silva, o "Lulinha", é filho do ex-presidente Luiz Inácio 'Lula' da Silva - que foi condenado na Lava-Jato e acabou sendo preso - e tal como o pai, também esteve envolvido diretamente nos esquemas de corrupção. 
A suspeita levantada pela revista 'Veja', publicada em 2006, era que a Telemar - empresa de telecomunicações estatal - estaria ajudando o filho do então presidente na esperança de ser atendida em uma alteração na Lei Geral das Telecomunicações que permitisse sua fusão com a concorrente Brasil Telecom, o que era proibido. Fato ocorrido em dezembro de 2008, quando houve edição do decreto presidencial assinado por Lula que permitiu a venda da Brasil Telecom para a Telemar/Oi.
A Gamecorp também é alvo de investigações da Polícia Federal sobre um possível esquema de corrupção envolvendo a operadora de telefonia Oi, no qual dinheiro teria sido repassado para a compra do sítio de Atibaia, em São Paulo.
Recentemente, Lulinha também se envolveu diretamente na Operação Lava-Jato, sendo alvo da "Operação Mapa da Mina", na 69ª fase da operação. O caso segue em investigação.

Venda da PlayTV

Após diversas acusações e investigações, Lulinha e seus sócios (os irmãos Fernando e Kalil Bittar) decidiram vender a Gamecorp para o empresário Walter Abrahão Filho, filho do narrador esportivo Walter Abrahão. O novo canal se chamará TV Walter Abrahão (TV WA) e sua programação será focada em jogos antigos de futebol, colunismo social e variedades. A PlayTV saiu do ar definitivamente no dia 15 de maio.

Postar um comentário

0 Comentários