13˚ Femina - Festival Internacional de Cinema Feminino - 2 a 9 de maio on-line e gratuito para todo o Brasil

As cerimônias de abertura, encerramento, homenagem e as gravações dos seminários serão disponibilizadas no canal do festival no YouTube

Nanu Tudor, de Olga Lucovnicova. — Foto: Divulgação

O Femina - Festival Internacional de Cinema Feminino, confirma a realização da 13ª edição de 2 a 9 de maio, no formato on-line, com acesso inteiramente gratuito para todo o Brasil no site https://innsaei.tv/.
O festival anuncia, também, a relação de filmes selecionados para as mostras de Competição Nacional e Internacional, além dos filmes que integram as sessões da Programação Especial Dividindo a conta, Eu gosto é de mulher e Experimental. O festival realizará, também, ao longo da semana,  a sessão de acessibilidade e fará uma homenagem à Tata Amaral, além de promover o Seminário Femina, também de forma on-line.
Dos 50 títulos que integram a programação geral, 26 filmes são brasileiros, dos estados de RJ, SP, MG, PR, SC, GO, PB e PE. Já os 24  filmes internacionais são oriundos de produções e coproduções da França, Sérvia, Canadá, China, Alemanha, Espanha, Portugal, Hong Kong, Áustria, Turquia, Catar, EUA, Bélgica, Hungria, Irã, Suíça, Noruega, Grécia, Polônia, Cingapura, Uzbequistão, Moldávia, Indonésia, Austrália. A idealização e a curadoria do festival são de Paula Alves e Eduardo Cerveira. A iniciativa tem o apoio da Prefeitura do Rio, por meio da RioFilme, órgão que integra a Secretaria Municipal de Governo e Integridade Pública (SEGOVI).

Sessão de abertura

Na sessão de abertura do festival, no dia 2, segunda-feira, às 21h, será exibida a estreia do longa-metragem Pejzaži otpora (Paisagens de resistência) (França/Sérvia/Alemanha, 2021), de Marta Popivoda. O longa traça a jornada pelas memórias da lutadora antifascista Sonja (97), uma das primeiras guerrilheiras da Iugoslávia, que também esteve entre os líderes do movimento de resistência em Auschwitz. O longa ficará em exibição por 48 horas. 
Prêmios do longa: Melhor Filme, Festival Internacional de Cinema de Jeonju/Coréia do Sul 2021; Prêmio Golden Alexander, Festival Internacional de Cinema de Thessaloniki/Grécia 2021; Prêmio Libraries, Cinema do Réel Festival Internacional de Documentários/França 2021; Melhor Documentário, Festival de Cinema de Sarajevo/Bósnia e Herzegovina 2021; Grande Prêmio, Beldocs Festival Internacional de Documentários/Sérvia 2021; Melhor Filme, Festival de Cinema Alternativo de Lima/Peru 2022.

Homenagem a Tata Amaral

Na edição de 2022 o festival homenageia a cineasta Tata Amaral.  Além de exibir o filme Hoje, escolhido pela própria diretora, o festival realizará um bate-papo com ela que será exibido junto ao filme.

Seminário Femina

Desde sua primeira edição, o Femina realiza encontros e debates que reúnem diretoras, produtoras, pesquisadoras, professoras e outros convidados para debaterem com o público questões de gênero, sexualidades, corpos, direitos humanos, representações, relacionadas ao audiovisual, entre outros temas.
O Seminário Femina deste ano acontece de 3 a 6 de maio e contará com as convidadas Marina Tedesco, India Mara Martins, Tainá Xavier, Alessandra Meleiro, Danielle Bertolini, Luiza Lusvarghi, Lorenna Montenegro, Ramayana Lira de Sousa, Nathalie Mesuret, Liliana Laspril, Luana Melgaço, Sara Silveira, com mediação de Paula Alves. A inscrição acontece no site e o inscrito receberá o link para participar de uma sala de encontros do zoom.

Premiação

Os filmes contemplados nas mostras competitivas serão selecionados por um júri técnico e serão anunciados no dia 9 de maio, segunda-feira, no encerramento do festival. Os filmes brasileiros ganham serviços de empresas parceiras para a diretora usar em um próximo trabalho como uma forma do festival poder incentivar a carreira da cineasta.
Júri da Competição Nacional: Alessandra Negrini (atriz), Camilo Cavalcante (diretor pernambucano), Nega Gizza (rapper, ativista, produtora cultural, apresentadora).
Júri da Competição Internacional: Stella Rabelo (atriz), Cecília Barroso (jornalista e crítica de cinema), Filippo Pitanga (crítico e professor de cinema).

“Tentamos trazer para o nosso público os melhores filmes dirigidos por mulheres dos últimos dois anos. Como sempre, levamos em consideração, além, é claro, da qualidade artística e técnica, a representatividade regional, a diversidade de gêneros cinematográficos, e as temáticas femininas. Nem todos os filmes são dirigidos por mulheres cisgênero. Há alguns anos, o Femina passou a exibir filmes de pessoas que se identificam como transgênero ou não binárias.” Paula Alves, idealizadora do festival.

Femina - Festival Internacional de Cinema Feminino 2022:

Sessão de Abertura

  • Pejzažiotpora (Paisagens de resistência), de Marta Popivoda, Documentário, 95min, França/Sérvia/Alemanha, 2021

Competição Internacional

  • Comme um fleuve (Como um rio), de Sandra Desmazières, Animação, 15min, França/Canadá, 2021
  • Danslarivière (No rio), de Weijia Ma, Animação, 15min, França/China, 2020
  • Die Welt ist an ihren Rändern blau (O mundo é azul nos cantos), de Iris Blauensteiner e Christine Moderbacher, Experimental, 15min, Áustria, 2021
  • El Planeta, de Amalia Ulman, Ficção, 79min, Espanha/EUA, 2021
  • Frimas, de Marianne Farley, Ficção, 20min, Canadá, 2021
  • Hayaletler (Fantasmas), de Azra Deniz Okyay, Ficção, 90min, Turquia/França/Catar, 2020
  • Nanu Tudor (Meu Tio Tudor), de Olga Lucovnicova, Documentário, 20min, Bélgica/Portugal/Hungria, 2021
  • Pour Elsa (Para Elsa), de Carmen Leroi, Ficção, 30min, França, 2020
  • Radiograph of a Family (Radiografia de uma família), de Firouzeh Khosrovani, Documentário, 82min, Suíça/Irã/Noruega, 2020
  • ∑E HNH, 66 EPΩTH∑EI∑ (66 questões da lua), de Jacqueline Lentzou, Ficção, 108min, Grécia/França, 2020
  • The Vibrant Village (O vilarejo vibrante), de Weronika Jurkiewicz, Documentário, 7min, Polônia/Hungria, 2019
  • Untitled Sequence of Gaps (Sequência de lacunas sem nome), de Vika Kirchenbauer, Experimental, 13min, Alemanha, 2020
  • Yuni, de Kamila Andini, Ficção, 95min, Indonésia/França/Cingapura/Austrália, 2021
  • УнингХукуки (Direito dela), de Saodat Ismailova, Experimental, 15min, Uzbequistão, 2020
  • 朵丽 (Lili sozinha), de Zou Jing, Ficção, 23min, China/Hong Kong/Cingapura, 2021

Competição Nacional

  • Carro Rei, de Renata Pinheiro, Ficção, 99min, PE, 2021
  • Celularrr, de Darks Miranda, Experimental, 23min, RJ, 2020
  • Céu de Agosto, de Jasmin Tenucci, Ficção, 16min, SP, 2020
  • Cósmica, de Ana Bárbara Ramos, Experimental, 7min, PB, 2022
  • Da janela vejo o mundo, de Ana Catarina Lugarini, Ficção, 16min, PR, 2021
  • Desterro, de Maria Clara Escobar, Ficção, 122min, SP, 2020
  • Henriqueta, de Anna Azevedo, Documentário, 18min, RJ, 2021
  • Kevin, de Joana Oliveira, Documentário, 80min, MG, 2021
  • Lora, de Mari Moraga, Documentário, 17min, 2020
  • Mares do Desterro, de Sandra Alves, Ficção, 100min, SC, 2020
  • Não moro mais aqui, de Laura de Araújo, Animação, 10min, PE, 2019
  • O dendê do Mestre Didi, de Beth Formaggini, Documentário, 5min, RJ, 2021
  • Rã, de Ana Flavia Cavalcanti e Julia Zakia, Ficção, 15min, SP, 2020
  • República, de Grace Passô, Ficção, 16min, SP, 2020
  • Saudade do Futuro, de Anna Azevedo, Documentário, 73min, RJ, 2021

Programas especiais

Dividindo a conta

  • Resplendor, de Claudia Nunes e Erico Rassi, Documentário, 51min, GO, 2019
  • Vaga Carne, de Grace Passô e Ricardo Alves Jr., Documentário, 45min, MG, 2019

Eu gosto é de mulher

  • Aonde vão os pés, de Débora Zanatta, Ficção, 14min, PR, 2020
  • Sorry Mom (Desculpa Mãe), de Sarah Lajoie-Asselin, Ficção, 17min, Canadá, 2021
  • Trópico de Capricórnio, de Juliana Antunes, Documentário, 13min, MG, 2020
  • Uma paciência selvagem me trouxe até aqui, de Érica Sarmet, Ficção, 26min, RJ, 2021

Experimental

  • A Hidra do Iguaçu, de Cristiana Miranda, 14min, RJ, 2020
  • Corps Samples (Amostra de corpos), de Astrid de la Chapelle, 14min, França, 2021
  • Fogo contra fogo, de Rebecca Moure, 4min, RJ, 2021
  • Labor of Love (Trabalho de amor), de Sylvia Schedelbauer, 11min, Alemanha, 2020
  • Passagem, de Tânia Dinis, 6min, Portugal, 2021
  • Rever (See Again), de/by Raquel Gandra, RJ, 2020
  • Self Portrait with Bag (Autorretrato com sacola), de Dianna Barrie, 6min, Austrália, 2020
  • The Garden of Curiousities (O Jardim das Curiosidades), de Anastasia Ferguson, 6min, Canadá, 2021
  • y un gato de porcelana… (E um gato de porcelana...), de Juana Robles, 5min, Espanha, 2020
  • 拾遗记 (Mil e uma tentativas de se tornar um oceano), de Yuyan Wang, 11min, França/China, 2021

Homenagem a Tata Amaral

  • Bate-papo com Tata Amaral, produção Femina 2022
  • Hoje, de Tata Amaral, Ficção, 90min, SP, 2011

Sessão acessibilidade

  • A mulher da luz própria, de Sinai Sganzerla, Documentário, 74min, RJ, 2019
  • Seremos ouvidas, de Larissa Nepomuceno, Documentário, 13min, PR, 2020

Sobre o Femina
                                                       
O Femina surgiu em 2004 para ser um espaço de reflexão sobre as desigualdades de gênero no audiovisual, de promoção do trabalho das mulheres em funções chave no cinema, especialmente na direção, e de incentivo a novas realizadoras e a entrada das mulheres no mercado audiovisual. Desde a primeira edição realização debates e encontros a fim de reunir convidadas dos meios cultural e intelectual, como profissionais do cinema, pesquisadores e professores, jornalistas, etc.


TOME NOTA: 13º Femina - Festival Internacional de Cinema Feminino

Quando? De 2 a 9 de maio, gratuito e on-line para todo o Brasil
Programação completa e inscrição para os Seminários: feminafest.com.br
Exibição on-line dos filmes no site: https://innsaei.tv/ 
Evento gratuito.
Classificação: 12 anos

Postar um comentário

0 Comentários